Produção Vegetal

Forragens e Pastagens

Horta

Até então uma agricultura puramente de subsistência e com um peso grande na alimentação animal, especialmente para os suínos, muito nos têm pedido para vender os hortícolas.

Este ano será o ano piloto.

Tal como a fruta, os legumes crescem muito naturalmente, sem pressas e com muita atenção para que cheguem aos nossos amigos/clientes o mais frescos possíveis.

Tomates, pimentos, beringelas, alfaces, cebolas, couves, batatas, courgetes, abóboras,...são alguns exemplos.

Caso não saiam em fresco, alguns vegetais transformam-se em compotas e conservas que fazem as delicias dos nossos amigos durante o resto do ano.

Olival

Enraizadas há certamente mais de 30 anos num Vale com larga tradição em olival,as cerca de 150 árvores existentes no monte desenvolvem durante o ano um excelente produto que muitos designam de "ouro vegetal".

Embora em pequena escala, achamos por bem tirar partido deste bem, com a convicção e a certeza que daqui resultará o mais saboroso azeite que alguma vez provou.

O solo, o clima, a colheita, a moedura mas essencialmente as variedades muitíssimo bem adaptadas a esta envolvente e árvores em plena produção, fazem de facto toda a diferença no produto final.

A colheita é feita por volta de Outubro/Novembro (consoante o ano). A azeitona pouco depois de ser colhida é levada ao lagar onde é moída numa prensa isolada, saindo desta forma o azeite resultante somente das nossas azeitonas.

O resultado final é um AZEITE límpido, dourado, muito aromatizado mas essencialmente muitíssimo saboroso.

Novembro 2013

Tal como esperávamos este foi um ano excelente de azeitona permitindo assim obter, na nossa modesta opinião, um azeite de grande qualidade.

A azeitona colhida do nosso olival já foi moída e uma amostra do azeite obtido já foi enviada para o Laboratório de Estudos Técnicos do Instituto Superior de Agronomia, laboratório melhor credenciado para este tipo de análises, esperando na próxima semana já ter o resultado da mesma.

Dezembro 2013

As nossas expectativas relativamente à qualidade do nosso azeite foram superadas.

Após a prova do primeiro azeite extraído, tivemos a perfeita noção do bom azeite que tinha sido obtido este ano contudo, o resultado da análise trouxe uma grande alegria pois o nosso azeite demonstrou ser um excelente AZEITE VIRGEM EXTRA.

Assim sendo, e para que os nossos actuais e futuros clientes possam comprovar aquilo que aqui foi escrito, publicamos o referido Relatório de Análise da mais prestigiada instituição a realizar este tipo de análise, o LET do Instituto Superior de Agronomia.

Pomar

Maças, Pêras, Ameixas, Marmelos, Laranjas, Cerejas, Pêssegos e Morangos são alguns dos frutos que a quinta produz.

Uns em plena produção e outros plantados apenas este ano são uma mais valia pois significam a continuação do trabalho que desenhamos para este projecto. Uma agricultura feita de forma tradicional que vá de encontro ás necessidades da empresa e o excedente que sirva para deliciar os nossos amigos/clientes que queiram apostar num produto de qualidade.

Este ano resolvemos proporcionar aos nossos amigos/clientes a nossa fruta que, não saindo em massa como nos grandes pomares, vai sendo distribuída à medida que a produção permite.

A fruta já muito madura, no seguimento daquilo que temos feito até agora, vai sendo transformada em compotas e geleias de forma a que durante o ano se vá matando saudades.

Vinha

A vinha ocupando perto de 2,5 hectares, apresenta na sua maior área cepas de uvas pretas, intercaladas com um número reduzido de uvas brancas.

Periquita, Rufete, Moscatel, entre outras castas produzem um vinho forte, de elevado grau, muito frutado, mas essencialmente extremamente encorpado.

Com uma produção média anual de 15 toneladas de uvas, a empresa transforma parte das uvas em vinho branco e tinto para consumo próprio, colocando a maioria da produção na Adega Cooperativa local.

Num futuro próximo pretendemos requalificar uma adega existente e que é utilizada para fabrico de vinho para consumo próprio, para que desta forma possamos comercializar Vinho e Licores assim como a tradicional Jeropiga.

Após alguma humidade seguida de calor excessivo, achamos ser a altura ideal para fazermos uma protecção à planta e ao fruto administrando uma calda.

Os cachos começam a formar-se tendo já alguns cachos com bago de ervilha.

Embora um pouco desavinhada devido ao tempo que se fez sentir este ano, temos expectativa de um ano de excelente qualidade.

A ver vamos como se vão desenvolvendo os cachos.